segunda-feira, 6 de março de 2017

Estadual 2017: Flamengo 3 x 3 Fluminense


Seria um pecado se o Fla-Flu fosse sem torcida ou com apenas um lado da arquibancada cheio. Com torcida mista e um bom público no Engenhão, para uma venda de ingressos que começou em cima da hora, o tricolor levou nos pênaltis a Taça Guanabara, após empate em 3 x 3 no tempo normal.

Já o Flamengo, que não levanta um título há três anos, fica o gosto amargo e algumas mudanças que ficaram evidentes e passaram a ser necessárias para a estreia na Libertadores, já na quarta-feira.

É inegável que Zé Ricardo seja um estudioso, comprova isso nas coletivas, entretanto, neste domingo, ficou claro que o Abel, talvez por não contar com seu principal jogador e por ter atuado no meio da semana, além de ter viajado sete horas de ônibus, tenha se preocupado mais com o rival.

Na entrevista pós-jogo, o técnico Rubro Negro admitiu que foi surpreendido pela estratégia do Fluminense, pelo menos no primeiro tempo.

O que fez Abel? Sem contar com Scarpa, armou o time com três atacantes, sacrificando Richarlison e Welington para ajudar nas laterais, fechar com duas linhas de quatro e ter jogadores prontos pra escapar em velocidade.

Foi apavorante ver tantos buracos entre os zagueiros e os volantes, até mesmo quando não era jogada de contra-ataque. E não dá pra colocar na conta apenas dos zagueiros não. Os volantes Rômulo e Arão estiveram em uma tarde ruim e pecaram demais no posicionamento.

Por mais que o placar não revele uma superioridade, ficou evidente a dificuldade do Flamengo em jogar contra uma equipe prostrada na marcação. O time da Gávea caiu na armadilha criada pelo Abel: ficou com posse de bola e não descobriu outra fórmula de anular essa tática. Poderia ter marcado pressão, poderia ter devolvido a bola e não ter entrado no jogo de velocidade tricolor.

A impressão era que todo mundo atacava e ninguém se comprometia em ficar na retaguarda. Não tinha organização e nem ataque e defesa em bloco, como manda o futebol moderno. Mancuello fez outro péssimo jogo. Após boas partidas contra times pequenos, simplesmente não apareceu contra o Grêmio, Botafogo, Vasco e agora o Fluminense.

Não teve o passe vertical do Diego, as triangulações, as ultrapassagens dos laterais. As bolas erguidas na área viraram a única solução de jogo. A boa notícia é o que está jogando o Guerrero. Não só os ótimos números: sete gols em oito jogos, mas seu papel para o time, fazendo muito bem as jogadas de pivô, matando cada tijolada no peito e dando continuidade às jogadas. Sem falar a habilidade da cobrança magistral de falta. Foi o melhor em campo, talvez o único.

É preocupante ver que a primeira opção pra tentar mudar o jogo foi o Gabriel, ainda mais jogando como meia, tendo o Diego recuado. Tenho dúvidas se Paquetá não seria a melhor opção. O que mudou mesmo a situação do jogo foi a entrada do Berrio. Mesmo não dando o último passe pro Réver, que chegava livre pela direita, incendiou o jogo e mostrou que já pode ser o titular com sobras.

Pois é, apesar de tudo, o Flamengo poderia ter conseguido a segunda virada e saído com a vitória. Não dá pra dizer que não teve garra até o final.

O San Lorenzo ganhou um mapa da mina. Os erros agora estão nas mãos da equipe argentina. E o Flamengo sem poder avaliar, pois até hoje os argentinos não jogaram uma partida oficial, apenas amistosos.

O que resta ao Rubro Negro é aproveitar a falta de ritmo do adversário, marcar pressão e tentar jogar de forma organizada. Não tenham dúvidas que os argentinos vão jogar fechados e abusar da velocidade para tentar surpreender no Maracanã.

Espero que o Zé Ricardo tenha aprendido a lição e não seja surpreendido novamente.

E também coloquem o Muralha pra treinar pênaltis.

9 comentários:

Marcel Pereira disse...

André,

Discordo da análise...

1- O 1o gol sai de um erro individual ridículo do Trauco no ataque

2- Foi a primeira vez que o Flamengo saiu atrás esse ano. Não teve equilibrio emocional.

3- O 2o gol sai de um pênalti infantil

4- O 3o gol sai de uma falha individual de recomposição dos dois zagueiros, completamente fora de posição

5- O Miguel Trauco é fraquíssimo defensivamente. Engana contra os Madeireiras e Bangus, mas para um Brasileiro, não aguenta um São Paulo, um Corinthians, um Grêmio. E não estou falando isso pelo jogo de ontem...

6- O Zé Ricardo ainda é muito lento para ler o jogo. Inexplicável voltar do intervalo sem substituições.

Abs. Marcel Pereira

Cadu Rollo disse...

Uma partida pífia do nosso treinador. Errou em tudo.

O time era infinitamente superior e foi dominado.

Bizarro ver que o Flamengo mesmo perdendo o jogo, ficou marcando de longe, deixando o adversario (de nivel inferior) ter a posse de bola total. O pior é que poderíamos ter corrigido isso no intervalo ou ate mesmo na parada tecnica, mas a unica soluçao encontrada foi colocar o ja conhecidamente fraco Gabriel. E aí só reagimos e começamos a atacar com mais de 30 minutos do segundo tempo.

Idem aconteceu quando estavamos ganhando, ao inves de marcar forte e frustar o adversario... Demos a bola e demos campo ao time, que aproveitou.

Foi bem ruim o resultado.

Mas fico sempre na esperança de aproveitarmos pra evoluir.

O time é claramente bom. Precisa corrigir erros apenas.

Anônimo disse...


Eu discordo e concordo em alguns pontos.

1. 1o Gol foi falha do Trauco sim. Qdo os zagueiros sobem pra cabecear, quem deve ficar é o Trauco, Pará, e Arão (pois o Rômulo, em tese, tb é bom cabeceador). O Arão sumiu, o Pará foi o único que ficou defendendo, vendido lá atrás. O erro do Trauco foi o pior, além de esquecer tudo na defesa, ainda entregou a bola.

2. Acho que o emocional foi só com alguns jogadores. O time poderia ter virado, se não perdesse alguns gols.

3. O pênalti foi azar. A visão do Gerrero estava encoberta quando a bola passou pelo Trauco. Não dava pra tirar da frente.

4. Quase a mesma coisa do primeiro gol. Os zagueiros foram cabecear. Os mesmos 3 do ítem 1 têm que ficar defendendo até que os zagueiros voltem. Veja no replay que, quando o Diego cabeceia pra trás, o Arão estava próximo do cara q fez o gol. O cara passou na frente dele, e o Arão ficou olhando, e não acompanhou. Como se tivesse zagueiro lá atrás pra marcar, mas eles não tinham voltado ainda.

5. Concordo, mas acho que o Jorge tb era. O Marcio Araújo compensava um pouco isso.

6. Tb concordo.


E mais.
A. Não sinto segurança no muralha. Ele não é daqueles que cresce na frente do atacante. Não sei pq ele é da seleção. Se der disputa de pênaltis na libertadores, não sei não.
B. Com Trauco fraco na marcação, e Arão e Rômulo deixando esses espaços no meio, não duvido nada de o Márcio Araújo voltar rapidinho a ser titular. Não gosto dele, mas hj mesmo vi Fábio Luciano e Kleber Leite pedindo a volta dele. Ele não sabe passar, nem sair pro jogo, mas Arão e Rômulo também não souberam nessa final. A possibilidade é real e iminente.

SRN

Elton

















CBM disse...

Pedir a volta de Márcio Araújo por erros de passe e execução de jogadas de bola parada que feitas erradas redundaram em gols do adversário é lamentável. Esqueceram que contra o São Paulo e situação semelhante ele levou um tranco perdeu a bola e entregou o primeiro gol naquele dia?????
Discordo da análise, o Fluminense não criou uma jogada de bola trabalhada é tudo bola parada, vejam os melhores momentos, tem os gols 4 ou 5 escanteios e no final do jogo um contra-ataque no resto mais nada, mas o que vale é o elantado de que levamos gols por mal posicionamento.
Bom talvez a solução seja deixar a zaga no lugar e disputar as bolas paradas com os jogadores de frente como era na década de 70.
Repetindo no primeiro gol a cobraça do Diego é bisonha e o chute do Trauco um peteleco a defesa saindo da área rebateu e pegou o atacante avançado numa situação inesperada, o Pará escorregou para piorar e o gol aconteceu.
No terceiro era corner o Fluminense deu um chutão o Pará matou e ao invés de recomeçar mandando para o muralha resolveu dar um chutão que ganhou altura e não distância, a disputa de cabeçadas terminou com um do Diego para o meio campo(erro grosseiro) e o Fluminense em 3 toques fez o gol, o Rever ainda estava voltando da área adversária e o Vaz disputou o chutão do Pará.
O segundo gol era um sequência de escanteior e o Guerreiro acabou pulando com braço aberto.
O time estava visivelmente nervoso e pilhada aliás os dois times, os ataques superando as defesas nas bolas paradas e jogadas erradas.
O primeiro tempo do Flamengo foi bom teve jogadas construídas, toque de bola e chances disperdiçadas, foi estragado pelos erros defensivos nos gols, o segundo foi muito pior técnico desesperado se entregou a tática do chuveiro que só funcionou depois da entrada do Berrio, Gabriel foi inútil, e do Vizeu e o Flamengo quase virou o Berrio perdeu arquele gol no final.
Os elantados estão funcionando em relação ao Trauco não ser bom defensivamente, não consigo ver ele levando baile em jogadas armadas(elas não aconteceram).
Não acho que o Mancuello foi mal deu passe para o Arão que chutou fraco no final do primeiro tempo, triagulou com Diego para passar para Trauco que chutou torto, combinou bem com o Pará, participou da troca de passes do primeiro gol, as pessoas querem brilhantismo total todos os jogos, ele foi muito melhor que o Gabriel.
Parece que o time perdeu de 3x0 e não na loteca dos penaltis. E parece que os erros de passe vão se repetir todo o jogo. O Zé Ricardo precisa chamar a atenção do time na execução dos lances que redudaram os gols do Fluminense e deixar o time jogar quarta-feira.

Claudio disse...

Bom dia.

Antes o Flamengo ficava nervoso quando enfrentava o Vasco. Resolveu isso jogando bola. Agora vamos ficar nervosos contra o Fluminense?

1 - zagueiros fora de posição, disputando uma pelada. Não precisa treinar isso. É só conversar;

2 - Felipe Vizeu tem que treinar cabeçada. Ridículas as duas cabeçadas dele no segundo tempo contra Madureira e nesse jogo com o Fluminense. Dois lances de gol;

3 - Muralha é ótimo goleiro, apenas precisa treinar penaltis;

4 - Golaço do Guerrero, a calma do Arão na hora de fazer o gol, o ótimo posicionamente do Éverton, mais uma atuação dinâmica de Berrío!!!

5 - O Flamengo tem uma Ferrari. O Fluminense tem um Gol 1.6. O Abel teve mais culhão do que nosso treineiro.

José Ricardo, eu vou te dar um conselho. Mas, você vai ter que ter humildade.

Eu não acompanho jogos de nenhum time, só os do Flamengo. Mas, eu vi uns jogos do Botafogo pela Libertadores e gostei de ver o posicionamento dos jogadores do Botafogo na hora de se defender dificultando as armações de jogadas dos times adversários quando estavam jogando em casa. Então, faz o seguinte, pega esse jogo que acho que foi contra o Olímpia lá e tira uma foto do posicionamente do time do Botafogo. Coloca o time do Flamengo com o mesmo posicionamente. Provável que o Jair Ventura tenha copiado isso de alguém.

Dizer que o nosso treinador é um "estudioso" é um eufemismo para evitar dizer outras coisas. rs.

Disputamos uma Libertadores com Jayme, agora a outra com o Zé. É sonhar e rezar. Rezar bastante!!!! É a chapa azul querendo fazer o que não sabe. Gente arrogante não enxerga os erros, nunca admite erros.

Eu estou me referindo especificamente ao futebol. Se eles saíssem do futebol e deixassem nas mãos de gente profissional, que sabe lidar com esportistas e sabe cobrar resultados, seriam bem sucedidos nas finanças e no futebol.

Mas, a mídia é sedutora, todo ser humano quer aparecer, não laragm o osso. Revonar com o Gabriel por dois anos é coisa de... deixa pra lá. rs.

Cirino tá de volta? Vão contratar um psicólogo para ele voltar a jogar focado ou vão deixar pra lá e vamos ver esse grande jogador vestir a camisa do Flamengo e entrar em campo sem estar se sentindo à vontade, inspirado? Já são dois anos com ele entrando sem estar se sentindo confiante e vocês não ajudam, não fazem nada.

Jogadores do Mengão, nessa quarta-feira vamos jogar bonitinho, unidinho, jeitosinho, bem agrupadinho, focadinhos e VAMOS GANHAR PORRA!!!!!!!!!!!

Nossa, acordei macho hoje! risos.

Vamos Mengão!!!! Úh Maraca é nosso!!!! Vai começar a festa!!!!

Barreto disse...

Torcedor é assim mesmo. O que era bom fica péssimo e pode ficar bom bom de novo. Depende apenas do resultado. Marcio Araujo pode se transformar em uma maravilhosa solução para muitos Deixa o torcedor opinar e mostrar a sua passionalidade. Aliás o torcedor não precisa ser racional, basta torcer.

Julio Martins disse...

Pois é, Barreto.

Se o Berrío faz aquele gol no final do jogo tudo estaria diferente. A imprensa e a torcida estariam falando que o Flamengo é "o mais melhor de bom time do campeonato", que isso, que aquilo. rs.

Mas, tivemos falhas sim e também temos nossos valores, qualidades e virtudes. Que elas voltem a aparecer.

Joanilson Silva disse...

Pelo jeito vimos o mesmo jogo. O Trauco no chute tinha a opção de devolver no Diego q poderia cruzar com a defesa das flores saindo ou até mesmo voltar no Para e esperar a defesa se recompor ou dar um bico pro gol, daqueles q a bola ou vai no gol ou fora do estádio, nunca um chute colocado.
Tbm achei q o maior erro do 3o gol foi do Para, pois um bico pro alto pode tanto cair no pé de alguém do Flamengo como das Flores, erro de precipiante.

Ruy Moura disse...

Se continuar com o Zé Ninguém vai ser sempre assim, infelizmente!